Chile: um país de extremos, uma viagem de sensações

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Conhecer o Chile foi uma experiência fascinante. Passamos 12 dias do verão de janeiro e conhecemos parte da região central do país. Ficamos na cidade de Santiago e visitamos Val Paraíso, Viña del Mar, a região das vinícolas e a cidade de Cajon del Maipo, onde pudemos fazer uma trilha de 16km no Parque Nacional El Morado, na surpreendente Cordilheira dos Andes.

A gastronomia chilena é rica e com toques inesperados ao paladar. Provamos vinhos saborosos e o famoso Pisco Sour, típico drink local. Nos refrescarmos com o mote com huesillos, bebida tradicional de pêssego e grãos de trigo e comemos sopaipillas, um tipo de tortinha frita à base de abóbora, baratinha e deliciosa! Os frutos do mar são incríveis, a centolla (caranguejo gigante) e os camarões são muito bons e o salmão é o mais fresquinho que já experimentamos. A “palta” (abacate em espanhol) faz parte do cotidiano e estava presente em quase todas as refeições, dos sanduíches à comida japonesa. Ah, o toque apimentado também é bem comum por lá.

A capital é bem cuidada, com transporte público eficiente e nos convida a caminhar, caminhar e caminhar. Nos hospedamos no centro e foi possível conhecer muita coisa a pé ou utilizando o transporte público, melhor jeito de vivenciar uma cidade.

Os parques, “cerros” (morros) e praças são arborizados e utilizados diariamente pela população local, constituindo verdadeiras paisagens urbanas e não fantasiosos cenários prontos apenas para as câmeras dos turistas. Esses espaços públicos são super valorizados pelos moradores e usuários da cidade que se sentem convidados a caminhar, andar de bicicleta, fazer piquenique ou apenas sentar na grama para conversar ou ler um bom livro.

A arte está em todas as esquinas, nas ruas, nos museus e até nas estações de metrô, em forma de música, pintura, teatro, poesia ou escultura. O idioma espanhol é brincalhão, sonoro, quase musical. Tentar se comunicar na língua local é uma das melhores formas de embarcar na viagem e conectar-se ainda mais ao lugar.

O Chile nos proporcionou experiências inesquecíveis. Tomar banho nas gélidas águas do Pacífico – imagine só! Atravessar um continente inteiro e se deparar com um oceano novinho aos olhos brasileiros – e caminhar nas Cordilheiras – subir quase  3000 mil metros de altitude e respirar um ar refrescante e quase inabitado, paisagem completamente diferente da usual vida em planície no litoral nordestino – faz a gente realmente sentir que o mundo fica maior, muito maior!

Escolhemos fazer uma viagem tranquila, apreendendo cada pedacinho dos lugares devagar. Por isso, outras regiões do Chile, como a Patagônia e o deserto do Atacama ficaram para futuros roteiros de viagens que com certeza virão para ampliar nosso universo pessoal.

CHILE PERCEPÇÕES copy

Escolhemos apreciar as paisagens no verdadeiro sentido da palavra. E a diversidade de sensações nos presenteou com belas memórias que registro aqui em um “quadro de percepções chilenas” através de fotografias para estimular a todos que estiverem pensando em viajar a escolherem o Chile como próximo destino!

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

2 comments on “Chile: um país de extremos, uma viagem de sensações

  1. Lindas fotos! Chile é um país que quero muito conhecer. Só não me imagino fazendo uma trilha dessas kkkkk MEU DEUS! São 16 KM? Perdi 2 kg só de imaginar…… Gordo sedentário é fogo! bj nine